• Entrar
  • Cadastrar
Dá para emagrecer! Com esses truques, você vai consumir 26% menos calorias durante o dia, garante estudo

Com algumas mudanças de hábitos simples, é possível acelerar o seu processo de emagrecimento com a ingestão de menos calorias, aponta novo estudo.

Estudo aponta truques infalíveis para quem quer emagrecer (Foto: Freepik)

Um novo estudo traz boas notícias para quem deseja emagrecer. Com alguns truque na alimentação, você pode reduzir até 26% na ingestão de calorias e acelerar o processo de perda de peso.

Mas antes de mais nada, é essencial buscar uma forma de alimentação saudável para qualquer processo de emagrecimento e contar com a ajuda de um especialista para orientar e evitar investir por contra própria em estratégias de dietas furadas.

Veja o que diz o estudo publicado na revista científica American Journal of Clinical Nutrition e se surpreenda com os truques listados para uma dieta bem-sucedida!

Sua dieta de emagrecimento pode decolar se você colocar esses truques em prática

Conforme aponta o estudo da Universidade de Wageningen, na Holanda, o segredo do processo de emagrecimento pode ser surpreendentemente mais simples.

O que se percebeu é que ao optar por alimentos mais crocantes, a velocidade da mastigação fica mais lenta e a quantidade de consumo de alimentos pode ser reduzida pela metade.

Outro detalhe levantado pela pesquisa é que as refeições oferecem mais dificuldade quando o polêmico arroz cozido substitui o purê de batata macio e uma salada crocante entra no lugar de uma salada de repolho cozido, por exemplo.

Como foi realizada a pesquisa para se chegar ao resultado

Quatro refeições semelhantes foram oferecidos para um grupo de 50 pessoas: dois classificados como ultraprocessados e dois minimamente processados.

  • Um dos pratos em cada categoria tinha uma consistência mais firme e crocante, o que tornava mais difícil a velocidade da mastigação.

  • Uma outra refeição se destacava por ser mais fácil de consumir.

  • De forma geral, os almoços oferecidos tinham a mesma quantidade de calorias.

  • As refeições mais difíceis de mastigar tinham arroz cozido, salada crocantes e peito de frango grelhado no lugar de purê de batata, salada de repolho cozido e pedaços de peixe.

  • No cardápio também tinha uma maçã fresca e dura no lugar de mangas moles, e iogurte natural ao invés de iogurte líquido.

  • Um molho de tomate mais grosso foi servido no lugar de molho tártaro.


Por fim, os resultados apontaram que as pessoas consumiram 26% menos calorias, algo em torno de 300 a menos, quando o almoço tinha textura mais firme. O grau de processamento da refeição não interferiu.

Isso parece ter acontecido porque foi preciso mastigar mais antes de engolir os alimentos, o que fez diminuir pela metade o consumo da refeição.

Comer mais devagar faz uma diferença relevante no consumo de calorias

Segundo os pesquisadores, comer mais devagar ajuda a controlar a quantidade de alimentos consumida. É um caminho para que a pessoa perceba que já está saciada. Em comunicado, o professor Ciarán Forde, principal autor do estudo, comenta o resultado.

"Temos mais de uma década de evidências de que as pessoas que escolhem texturas que as incentivam a comer mais devagar, como alimentos mais crocantes, mais duros ou mais mastigáveis, podem consumir menos calorias, ao mesmo tempo que se sentem igualmente satisfeitos", afirma.

"O que é atraente no uso de texturas de refeições para mudar o comportamento e a ingestão é que as pessoas ainda podem gostar de comer os alimentos que gostam, ao mesmo tempo que reduzem o risco de consumo excessivo", acrescenta ele.

Diferença na ingestão de calorias analisada durante a pesquisa

O menor consumo médio de calorias durante a pesquisa, de 483 calorias, foi percebido quando as pessoas comeram a refeição dura e pouco processada. Já a maior ingestão, com média de 790 calorias, foi destacada na refeição macia e ultraprocessada.

A mesma equipe de pesquisa já havia analisado, em um estudo anterior, diferentes aspectos da textura dos alimentos ligados à velocidade de alimentação.

Na ocasião, eles perceberam que até uma simples cenoura pode ser consumida até três vezes mais lentamente se for cortada em cortes maiores e mais grossos, sem maionese acrescentar molho como maionese para lubrificá-la.

Num próximo estudo, a ideia é avaliar se a textura da refeição e a velocidade de alimentação podem influenciar a ingestão de calorias durante um período mais longo de duas semanas.

Veja mais!

Mascar chiclete reduz o apetite? Descubra se hábito é aliado ou vilão da dieta.

Alimentos que aumentam a saciedade: veja o que comer para evitar a fome fora de hora.

Temas relacionados