• Entrar
  • Cadastrar
Festa do Sairé e Festival dos Botos: tudo sobre as tradições centenárias da maior celebração folclórica de Alter do Chão

Ritual folclórico, celebração da lenda do boto e muita cultura da região amazônica estão presentes em um dos lugares mais bonitos do país

Festa do Sairé tem música, tradições centenárias e celebração do folclore em cinco dias (Créditos: Shutterstock)

A Festa do Sairé, ou Çairé, é a maior e mais antiga de Alter do Chão. Há mais de três séculos, o paraíso balneário da cidade de Santarém, no Pará, é sede de uma grande celebração folclórica, tão tradicional quanto outras da região amazônica como o Festival de Parintins e o Círio de Nazaré. A celebração chegou a ser interrompida no século passado, mas voltou com ainda mais força. Em 2023, a Festa do Sairé, que ainda conta com o belíssimo Festival dos Botos, celebra a 50ª edição após a retomada em 1973. Saiba mais no TudoGostoso sobre essa festa que tem de rituais folclóricos a competições alegóricas.

O que é a Festa do Sairé?

A Festa do Sairé/Çairé é uma celebração que une rituais religiosos e tradições indígenas há mais de 300 anos no interior do Pará. A festa é tão importante que é patrimônio cultural de Santarém. Até o local do evento, Alter do Chão, virou patrimônio cultural de natureza material e imaterial do Pará por causa das paisagens belas e da importância para o turismo no estado.

A principal tradição é o ritual com o Sairé, uma armação de madeira em formato de arco com uma cruz no meio, toda coberta de flores e fitas. Primeiro, antes da abertura da festa, existe a cerimônia de “busca” e levante de mastros de madeira, incluindo uma competição para ver quem levanta o mastro mais rápido. Depois, no evento principal, o Sairé é carregado por mulheres em uma procissão acompanhada da música de tambores e cânticos.

Ao longo do fim de semana prolongado do evento são realizados cerimônias religiosas, festas, shows de artistas da música brasileira e o Festival dos Botos. No último dia, na segunda-feira, acontece a festa de encerramento com a derrubada dos mastros, a “varrição da festa” e a “cecuiara”, um almoço de confraternização.

O que é o Festival dos Botos?

O Festival dos Botos é um evento à parte que acontece dentro da Festa do Sairé. Não é uma tradição tão antiga quanto o Çairé, já que foi criada há menos de 30 anos, mas ajudou a elevar a popularidade do evento e ainda manteve as raízes folclóricas. O Festival dos Botos é, na verdade, uma competição entre duas associações folclóricas de botos, o Boto Cor-de-Rosa e o Boto Tucuxi.

Cada uma das associações se apresenta no ritual dos botos, encenando a trama folclórica das lendas, mas sempre trazendo temas e elementos novos a cada ano. Assim foi criada uma rivalidade saudável e alegórica entre os botos quando, no último dia, um é consagrado campeão. A tradição foi diretamente inspirada pelo Festival dos Bois de Parintins, do Amazonas, com a disputa entre o Garantido e o Caprichoso, e com danças e carros alegóricos em desfiles ao estilo do Carnaval.

Qual a história da Festa do Sairé?

Assim como muitas comemorações tradicionais brasileiras, a Festa do Sairé começou como um evento de caráter religioso. Durante o século 17, os jesuítas realizavam rituais religiosos cristãos com os povos indígenas na região amazônica. A data e local de origem não são certos e o ritual chegou a ser feito em várias missões religiosas pelo rio Tapajós e também pelo rio Amazonas, mas foram sumindo ao longo do tempo.

A única Festa de Sairé que continua até hoje é a realizada em Alter do Chão. Mas, apesar de tanta tradição, a festividade passou por mudanças ao longo dos séculos. No começo consistia em uma procissão para conduzir o Sairé enquanto os povos indígenas tocavam instrumentos ensinados pelos jesuítas em homenagem aos colonizadores. O evento era seguido de uma reza, uma refeição com comidas amazônicas e a queima de fogos. Desde sua criação, foi perdendo o caráter religioso para se tornar uma festa popular folclórica, ainda que alguns rituais tenham continuado.

Por ter perdido a sua “essência” e ter excesso de bebidas alcoólicas, jogos de azar e brigas, em 1942, a Festa de Sairé foi suspensa por ordem dos religiosos franciscanos. Somente três décadas depois, em 1973, que voltou a acontecer mantendo tradições folclóricas, mas sem a conexão religiosa. Além disso, passou a agregar elementos novos. Foi em 1997 que começou, dentro do evento, o Festival dos Botos, com a criação da competição alegórica entre as associações folclóricas Cor-de-Rosa e Tucuxi.

Onde acontece a Festa do Sairé?

A Festa do Sairé começou com as missões religiosas na região amazônica, mas hoje em dia somente ficou a de Alter do Chão, um distrito da cidade de Santarém, Pará, bem às margens do Rio Tapajós. Santarém fica próximo do estado do Amazonas e a 1300 quilômetros da capital do Pará, Belém. Desde a criação do Festival dos Botos, a Festa do Sairé trocou de lugar, saindo da igreja e indo para uma praça de eventos especial chamada Sairódromo. Durante a Festa do Sairé, Alter do Chão chega a receber cerca de 100 mil pessoas nos cinco dias do evento. Por dia, são cerca de 7 mil pessoas pelas praias e 12 mil nos shows à noite.

Quando é a Festa do Sairé 2023?

A Festa do Sairé 2023 será realizada entre os dias 14 e 18 de setembro, começando assim em uma segunda-feira e terminando na sexta-feira. O Festival do Botos acontece dentro da programação da festa principal. Desde 2022, cada desfile é feito em um dia. Este ano o Boto Tucuxi se apresentará na sexta, 15, e o Boto Cor-de-Rosa no sábado, 16. A apuração e o resultado da competição são feitos no último dia da festa, na segunda, 18.

Veja mais:
Dia da Amazônia tem festivais em 8 cidades: confira atrações e maravilhas da região
Culinária paraense: conheça 10 pratos típicos do Pará

Temas relacionados