• Entrar
  • Cadastrar
O que comer no Festival de Parintins? Veja 5 pratos típicos que você precisa experimentar!

Celebrado nos dias 28, 29 e 30 de junho, o Festival de Parintins é rico em gastronomia e marca a disputa dos bois Garantido e Caprichoso 

Festival de Parintins é rico em tradições, musicalidade e gastronomia. (Crédito: Shutterstock)

O Festival de Parintins é uma celebração tradicional do Norte do Brasil que tem como marca registrada a disputa dos bois Garantido e Caprichoso. No entanto, a "festa junina" da Amazônia, realizada de 30 de junho a 2 de julho, também tem forte tradição musical e uma culinária muito rica. Conheça cinco pratos típicos que você precisa experimentar quando visitar Parintins, cidade localizada a 400 km de Manaus.

O que comer no Festival de Parintins?

Revigorante, o tacacá é uma iguaria muito apreciada no Norte do Brasil e tem o "poder" de até curar ressaca. (Crédito: Shutterstock)

Tacacá

Prato muito apreciado no Norte do Brasil, o tacacá é um preparo de sabor forte que une tucupi, folhas de jambu, camarão e goma de mandioca. O resultado é um caldo revigorante, capaz até de curar ressaca, que é vendido em diversas barracas durante a celebração em Parintins.

Para quem nunca experimentou a iguaria, vale destacar dois ingredientes. O tucupi, que é um líquido extraído da raiz da mandioca e cozido por até cinco dias, e a folha de jambu, cuja característica mais marcante é a dormência da língua. Apesar de o tacacá ser encontrado em vários lugares do Amazonas, os parintinenses defendem que são eles quem sabem fazer o melhor do estado.

Bodó

Peixe que pertence à família dos bagres, o bodó intimida à primeira vista por causa do seu corpo revestido por placas e espinhos. Ele é facilmente encontrado nos rios do estado e é um dos mais apreciados pelos moradores da ilha de Parintins. Na cidade, o bodó costuma ser vendido assado em churrasqueiras e acompanhado da farinha d’água. Mas ele também pode ser consumido ao molho do tucupi.

Bolinho de Piracuí

A iguaria é feita à base do piracuí, uma espécie de farinha que é produzida a partir da carne de peixe. O processo é curioso: consiste em pilar o peixe sem espinhas até reduzi-lo a pó. Já pensou? Depois disso, o "pó de peixe" é torrado e mexido em uma chapa aquecida. O resultado é uma farinha que lembra à de mandioca, mas com um sabor diferenciado. O piracuí é mais comumente feito do bodó, mas pode ser utilizada outra espécie.

Para virar bolinho, o piracuí é envolvido em uma massa que pode ser de macaxeira, trigo ou batatas, enrolado no formato de bolinha e depois frito. Em Parintins, o bolinho de piracuí é vendido em bares, em restaurantes e em barraquinhas.

Tucumã

O tucumã é um fruto muito consumido na região e suas lascas costumam ser usadas para rechear sanduíches e até tapiocas. Em Parintins, uma iguaria muito famosa é o X-Caboquinho, pão francês recheado com queijo coalho, manteiga, banana frita e, é claro, lascas de tucumã. A iguaria é tradicional do café da manhã na cidade.

Pirarucu frito

Peixe muito apreciado no Norte, o pirarucu é servido de diversas formas em Parintins. Há a opção grelhada, ao molho de camarão, à milanesa e em forma de filezinhos fritos. Ou seja, para comer é só escolher o modo de sua preferência.

Veja mais:

Pato no tucupi: como fazer a receita típica do Norte brasileiro

Ingredientes do Norte: saiba mais sobre 5 deles e como utilizá-los

Temas relacionados