• Entrar
  • Cadastrar
Existe dose segura para o consumo de álcool? Veja resposta da OMS em nova declaração

O consumo excessivo de álcool está associado a diversos riscos à saúde, incluindo doenças hepáticas, cardiovasculares, mentais e dependência. 

Segundo a OMS, nenhum nível de consumo de álcool é seguro para a nossa saúde. (créditos: Shutterstock)

O consumo de bebidas alcoólicas é um fator de risco para uma série de problemas de saúde. Além de provocar alterações comportamentais e dependência, o álcool pode causar mais de 200 doenças e distúrbios, tais como cirrose hepática, lesões no cérebro, alterações cardiovasculares e alguns tipos de câncer. Por esse motivo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), não existe um padrão de consumo que seja absolutamente seguro para o organismo.

Contudo, isso não significa que aquele drink ou copo de cerveja que você toma no final de semana seja altamente perigoso. Quando o álcool é consumido em uma quantidade leve/moderada, os riscos de danos são bem menores. Inclusive, a própria OMS estabelece um limite diário para a ingestão de bebidas alcoólicas que não oferece grandes prejuízos à saúde.

Como consumir bebida alcoólica sem que ela faça mal à saúde

Atualmente, a recomendação da OMS para o consumo moderado de álcool é de 10g de etanol puro por dia. Embora a organização defenda que não existe uma quantidade totalmente segura para a ingestão de bebidas alcoólicas, esse valor seria menos prejudicial à saúde. Isso corresponde a 350 ml de cerveja (5% de álcool), 150 ml de vinho (12% de álcool) ou 45 ml de destilado (que costumam ter, em média, 40% de álcool).

É importante destacar que as diretrizes da OMS valem apenas para organismos saudáveis e que sem qualquer doença crônica, como diabetes, hipertensão ou com histórico de dependência química. Além disso, o ideal é que as pessoas não excedam duas doses por dia e que se abstenham de beber pelo menos dois dias por semana.

A recomendação de consumo moderado de álcool também varia entre os países. Aqui no Brasil, o Ministério da Saúde segue a recomendação da OMS. Já no Canadá, por exemplo, a entidade médica nacional define que esse limite diário é semanal, e não por dia, como indica a OMS.

Exagerar no álcool em um dia é mais prejudicial do que consumir poucas doses diariamente

Muitas pessoas têm o hábito de não beber durante a semana para descontar tudo em algum dia específico. Contudo, não adianta evitar o consumo de álcool por alguns dias e exagerar nos outros. Ingerir bebidas alcoólicas em excesso em um único dia é mais prejudicial do que consumir pequenas doses diariamente.

Além disso, a OMS afirma que os riscos do consumo de bebidas alcoólicas não têm relação apenas com a frequência, mas principalmente com a quantidade. Uma pessoa que toma uma única taça de vinho à noite 3 dias da semana tem bem menos risco de desenvolver problemas de saúde do que aqueles que exageram no álcool no final de semana ou no happy hour. Agora, aqueles que bebem diariamente e em excesso, certamente, terão prejuízos muito maiores.

Consumo excessivo de álcool afeta a saúde física e mental

O consumo exagerado de álcool tem vários impactos negativos na saúde. Entre os principais dados, podemos destacar.

  • Problemas Hepáticos:

O consumo excessivo de álcool leva a problemas hepáticos, como esteatose hepática (fígado gorduroso), hepatite alcoólica e cirrose.

  • Problemas Cardiovasculares:

O álcool aumenta a pressão arterial e favorece o desenvolvimento de doenças cardiovasculares, como infarto e Acidente Vascular Cerebral (AVC).

  • Problemas Digestivos:

O álcool irrita o revestimento do sistema digestivo, causando condições como gastrite e úlceras.

  • Problemas Neurológicos:

O álcool afeta o sistema nervoso central e pode causar o comprometimento cognitivo e distúrbios neurológicos.

  • Riscos de Câncer:

O consumo regular de álcool está associado a um maior risco de desenvolver câncer, especialmente câncer de fígado, boca, garganta, esôfago e mama.

  • Dependência e Síndrome de Abstinência:

O álcool pode levar à dependência física e psicológica, condição conhecida como alcoolismo. A interrupção abrupta do consumo pode levar à síndrome de abstinência, caracterizada por sintomas como tremores, ansiedade, náuseas e sudorese.

  • Problemas Psicológicos:

O álcool afeta a saúde mental e aumenta os riscos de distúrbios como depressão e ansiedade.

  • Problemas Sociais e Profissionais:

O consumo excessivo de álcool impacta negativamente as relações interpessoais, desempenho no trabalho e responsabilidades sociais.

  • Risco de Acidentes:

O álcool compromete a coordenação motora e a capacidade de raciocínio e discernimento, aumentando o risco de acidentes, quedas e lesões.

Veja também:

Cerveja fonte de nutrientes: veja o que novo estudo afirma sobre benefícios da bebida alcoólica
Esse é o tempo que você precisa ficar sem álcool para o seu cérebro se recuperar de efeitos da bebida, apontam cientistas em novo estudo

Temas relacionados