• Entrar
  • Cadastrar
Cuidado com a maniçoba! Iguaria tem veneno mortal e precisa ser cozida por sete dias

Prato tem como ingrediente principal a folha de mandioca moída, a maniva; planta é rica em elemento extremamente tóxico e precisa de processo rigoroso para não oferecer riscos à vida

Folha da mandioca moída vira a maniva, ingrediente principal para o preparo da maniçoba. (Crédito: Shutterstock)

A maniçoba é um prato muito apreciado no Pará, especialmente na procissão católica do Círio de Nazaré, comemorada em Belém no segundo domingo de outubro. O cortejo leva a imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré da Basílica onde fica durante o ano até a Praça Santuário de Nazaré. Durante a romaria, o prato é muito consumido pelos fiéis. Por isso, as ruas de Belém são invadidas com o cheiro da maniçoba tanto no dia quanto nos sete dias que antecedem a celebração.

O que é maniçoba e do que é feita?

A maniçoba é uma iguaria que pode ser extremamente tóxica e até mesmo mortal. O prato tem como ingrediente principal a folha de mandioca moída, a maniva, que tem o ácido cianídrico, o chamado veneno cianeto, em sua composição. Por isso, para que a iguaria seja segura para quem a consome, é fundamental que o cozimento seja feito por sete dias.

Para quem nunca ouviu falar ou nunca experimentou, a maniçoba é uma receita saborosa que lembra a feijoada. Leva diferentes cortes de carnes bovina e suína, mas, no seu caso, o feijão é substituído pela maniva. A iguaria tem origem indígena, sabor intenso e coloração em um tom de verde escuro inconfundível.

Maniçoba tem cor escura e lembra uma feijoada. (Crédito: Cintia Sacramento / TudoGostoso)

Por que a maniçoba é perigosa?

O gás cianeto é liberado durante o processo de moagem da folha da mandioca para que ela vire a maniva. Nas plantas, o gás é usado como um artifício de defesa de animais predadores, o que inclui nós humanos. Se o cianeto foi ingerido, ele reage com a hemoglobina, que é uma proteína responsável pelo transporte de oxigênio dentro do nosso organismo, e impede a circulação desse gás tão essencial para a vida. O resultado disso é uma morte rápida por intoxicação e asfixia.

Como consumir a maniçoba sem riscos?

Para eliminar o veneno da maniçoba e deixar a receita segura para o consumo humano, o preparo precisa de pelo menos 7 dias de cozimento. Isso irá garantir que o gás mortal seja evaporado por completo. Além disso, o tempo é necessário para fazer com que a folha adquira textura e coloração tradicionais da maniçoba. O sabor final também depende da oxidação da folha moída pelas gorduras das carnes.

Onde a maniçoba é tradicional?

Além de Belém e na região Norte como um todo, o consumo da maniçoba também acontece em Sergipe e em municípios do recôncavo baiano como Santo Amaro, onde nasceu Caetano Veloso, e Cachoeira.

Veja mais:

Truque com pedra de gelo remove gordura de ensopados e caldos de carne

6 recipientes perfeitos para servir uma deliciosa feijoada

Temas relacionados